sexta-feira, 17 de junho de 2011

Vocação Missionária

Amáveis irmãos e irmãs! Nosso Deus não é um Deus absoluto, mas sim um Deus Uno e Trino. Uma comunidade de Amor, cujas pessoas tem uma abertura de amor e cada uma sua missão. Deus Pai criador de tudo de bom que existe; Deus Filho (Jesus Cristo) Redentor de todos os homens; e o Espírito Santo que santifica tudo além de ser a Alma da Igreja! Jesus é o missionário por excelência do Pai, guiado pela força e santidade do Espírito, cumpre o projeto do Pai, que é resgatar todos e tudo para Deus (1Cor 15,28). Divinizar tudo, pois tudo pertence ao Pai. Cabe a Igreja que é missionária por excelência e enviada pela Trindade Santa, a continuar a missão do Filho Jesus. Todos os batizados participam da missão de Evangelizar, seja na família, no trabalho, no lazer, na Igreja etc. Mas temos também aqueles que deixam tudo para evangelizar terras longínquas. Pregar o Kerígma (Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus) à todas as nações (Mt 28,16-20), e não apenas um Jesus taumaturgo (fazedor de milagres e contador de parábolas interessantes), para que o único salvador de todos possa ser Conhecido (João 8,32) e Amado por todos. Quando tomamos consciência de fato, que somos Amados e somos morada da Trindade Santa, nossa vida toma um novo rumo, um novo sentido, pois a mesma havia sido estragada ou deteriorada pela podridão do pecado. Mas Deus é Amor (1Joao 4,8) e nos ama e quer ser amado. Na Alegria de sermos amados por esse Deus tão grande e tão bom, partimos para terras longínquas ou permanecemos em nossa própria terra natal, dando testemunho de vida cristã autêntica. Deixamos o nosso coração ser dilatado pelo Amor da Trindade Santa e de fato, a cada instante, aspiramos mais e mais, a corresponder a esse Amor indiviso, que pode ser manifestado por excelência no Amor a Jesus Cristo e a sua Igreja (Sua Esposa, Santa e Imaculada), e estendido a cada ser humano e a cada criatura de Deus (quem não ama e respeita as criaturas de Deus, dificilmente ama o irmão – São Francisco de Assis). Vale a pena amar e ser amado, pois nascemos do Amor Trinitário e pela força desse Amor, cujo filho foi suspenso num madeiro (O Amor foi Crucificado), nos envergamos e deixamos ser envergados pelo mesmo Amor, alcançando o pobre, o miserável, o excluído...E para encerrar deixo uma linda frase de Dom Luciano Mendes (saudoso Arcebispo de Mariana): “ Ser Cristão é fazer o bem em nome de Cristo, e nem tanto sentir-se bem!”. Com certeza Jesus, quando suspenso num madeiro não estava se sentindo bem, mas estava cumprindo sua missão (Tudo está consumado – João 19,30), estava fazendo o maior bem de todos os tempos e lugares. Estava garantindo por seus próprios méritos o perdão de nossos pecados, a nossa Salvação e a Vida Eterna. Todos os Missionários são enviados para dar testemunho de Jesus Cristo e sua Igreja, cuja autenticidade desta missão é perpassada por martírios cruentos (sangue derramado), ou pelo martírio branco (testemunho de vida fiel sem derramamento de sangue, porém é derramada a própria vida em prol dos Sofrimentos de Cristo, de sua Igreja e pelos que estão a margem, muitas das vezes sem esperança).

Pe. Ivan José Ribeiro
(Assessor Diocesano do SAV
e Reitor do Seminário Menor)

Postar um comentário

Muito obrigado pela visita!!!

Clique nas paginas para ver outras matérias.

Seguidores

Total de visualizações de página

Colaboradores

Foto: