sexta-feira, 17 de junho de 2011

Casamentos Comunitário

No dia 11 de junho foi um dia de muita alegria na Paróquia de Santa Terezinha, pois se realizou o Sacramento do Matrimonio de cinco casais (Marciano e Dione; Everaldo e Rosely; Lucivaldo e Imaculada; Luciano e Lilian; Adilson e Vanderleia).

Alegrai-vos! São Paulo convida-nos: Alegrai-vos! Estes casais quiseram casar-se em ambiente de religioso, junto dos seus familiares e amigos, escutando a Palavra do Bom Deus. Quiseram fazer do seu casamento um sacramento, torná-lo para o mundo um sinal e um instrumento dessa alegria de Deus, dessa comunhão própria do nosso Deus família: Pai, Filho e Espírito Santo. São Paulo, na sua carta, propõe-nos: "Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito: alegrai-vos! Ocupai-vos com tudo o que é verdadeiro, justo, amável, virtuoso. O que ouvistes de mim, isso pratiquem. Então o Deus da Paz estará convosco.” Será o motivo da alegria de S. Paulo aquilo que celebramos no dia 11 de junho? Não duvido que sim.

É a alegria do encontro que gera amor, a alegria da Azul, a alegria de quem vive o lema: Tudo o que não se dá... perde-se". Alegria de quem vive em ação de graça pois dá de graça aquilo que de graça recebeu e, por isso, dá-se e age sem ser dominado pela tristeza, sem se afligir nos seus pensamentos, sem se iludir nas suas inquietações. Pois o que faz, faz em ação de graça. Madre Teresa de Calcutá trazia consigo um segredo: o fruto do silêncio é a oração, o fruto da oração é a fé, o fruto da fé é o amor, o fruto do amor é a ação. Do silêncio à ação de Deus em nós para nós nos tornemos como Ele. Esta é vocação da vossa família.

Prezados casais, esta é a certeza e o tesouro maior que devereis levar deste vosso maravilhoso dia. Aquele que os levou a Igreja, para que vossos matrimônios sejam sacramentados, é O mesmo que se manifestará no cotidiano de vosso amor, e é O mesmo que se manifesta no sacramento da Eucaristia, prova máxima do amor de Deus, que envolve graciosamente a humanidade.

O nosso Deus é todo Amor. Ele é o fundamento. Haja o que houver, nele tudo terá sustento e sentido, e nele, a vossa casa será sempre mais feliz.

A casa fundada no Bom Deus está de tal modo segura de si que apesar das contrariedades, dificuldades, injustiças... é mais forte que tudo isso.

Aquela que se edificada noutros alicerces sujeita às intempéries acaba por cair. Sabeis bem que sobre a areia nenhuma casa se sustém. Sabeis bem que a areia pode cegar. Nunca vos deixei levar pela desconfiança, pelo amor próprio, pela indiferença, pelo comodismo.

Quando aparecerem grãos de areia transforme-os em rocha! Lembre sempre da leitura do Evangelho lido nesse dia de alegria, Mt 7, 24-27. São os votos de toda nossa Igreja.

José Luís de Araújo Paiva (Seminário Menor)



Casamentos Comunitário


Postar um comentário

Muito obrigado pela visita!!!

Clique nas paginas para ver outras matérias.

Seguidores

Total de visualizações de página

Colaboradores


Foto: