segunda-feira, 18 de abril de 2011

Cantinho do Coração de Jesus

UM CERTO SIMÃO, DE CIRENE...

Segundo o relato dos Evangelistas, especialmente de São Lucas, no cap. 23, vers. 26, encontramos o seguinte: “ Enquanto levavam Jesus, pegaram um certo Simão, de Cirene, que voltava do trabalho no campo, e mandaram-no carregar a cruz atrás de Jesus”

Ao iniciarmos mais uma vez a “Celebração da Semana Santa”, que tem como ponto máximo a ressurreição de nosso Deus, sinto-me fortemente tocada pela pessoa deste certo “Simão de Cirene”.

Ele não sabia de nada, não ouvira nada, estava voltando de um dia cansativo de trabalho no campo... Não teve tempo de se informar ou mesmo de compreender o porquê daquele tumulto. Penso que ele chegou perto só para dar uma espiadinha e, por isso, não teve chance de escolher voltar atrás ou até mesmo correr para casa.

Se não teve escolha, foi mesmo obrigado a carregar a cruz... Mas ele carregou. Ele estava lá. Ele cumpriu o seu papel. Ele descansou Jesus um pouco. Ele serviu a Jesus.

Mesmo que tenha sido obrigado e até por medo, ele foi, ele fez! Foi peça importante da caminhada, do calvário de Jesus. Ficou para sempre presente na narrativa da Paixão e Morte de Cristo. Ocupou o seu lugar, cumpriu a sua missão e com certeza nem percebeu que, com o seu gesto, estava sendo e nos ensinando a ser “semente de ressurreição”. Inocente que era, nem sentiu que o seu gesto de solidariedade fazia parte do cumprimento do Plano de Deus Pai.

Mais de 2.000 anos depois, aqui na terra a vida continua. Calvários ainda existem. Cruzes? aos montes! Irmãos fatigados, quebrados, insultados, injustiçados, ensangüentados... são tantos!

Recheada de tanta tecnologia e modernismo está a nossa vida. Quem somos nós? Quem sou eu? Quem é você?

Pedros, Robertos, Tiãos, Marias, Rosas, Franciscas?... Temos “peito” e coragem suficiente para sermos um “certo irmão”, aqui na terra?

Para tornarmos melhor a vida de alguém? De algum modo, mesmo que meio obrigados, sabemos aliviar o sofrimento de quem precisa de nós? Temos disponibilidade e alegria em participarmos do Plano de Deus?

Ainda há tempo para revermos tudo isto pois, somos herdeiros da ressurreição de Cristo; também haveremos de ressuscitar um dia.

Nossas dores, pesares, problemas e sofrimentos são todos passageiros e somente a ressurreição é definitiva e eterna.

Tenhamos como meta de vida sempre ver Cristo ressuscitado no fim do caminho e nunca ver um Cristo morto, porque Ele vive, a morte não foi seu fim, Ele venceu a morte para sempre.

Nós todos não nascemos para morrer, mas morremos para ressuscitar. Depois que Cristo ressuscitou primeiro, sabemos que a morte não é mais nosso destino, o Céu espera por nós! Que saibamos entender e viver a ressurreição de Cristo como o centro de nossa vida, a razão de nosso viver. Assumir a ressurreição como projeto de vida faz toda a diferença.

Desejar uma feliz Páscoa para alguém não é só demonstrar carinho e atenção. É desejar que o plano de um Deus Amor seja realizado plenamente na sua vida. Por isso, dizer Feliz Páscoa, equivale a dizer: seja feliz, plenamente feliz, ao lado do Senhor Deus, hoje, amanhã, e para todo o sempre.

Seja amanhã, melhor do que você é hoje. Tenha sempre coragem de voltar atrás e mudar tudo que precisa ser mudado. Tenha sempre um desejo enorme do Céu!

Um abraço amigo. Feliz e Santa Páscoa a todos.

Maria José da Silva Alfredo
Postar um comentário

Muito obrigado pela visita!!!

Clique nas paginas para ver outras matérias.

Seguidores

Total de visualizações de página

Colaboradores


Foto: