terça-feira, 20 de março de 2012

Pastoral Familiar - Congresso Diocesano

Congresso Diocesano da Pastoral Familiar

    Dia 4 de março tivemos a oportunidade de participar do congresso diocesano da Pastoral Familiar da Diocese de Patos de Minas, que aconteceu em Patrocínio, no Rotary Brumado dos Pavões.

    As palestras foram ministradas por Pe. Jorge Alves Filho, Assessor da Pastoral Familiar da Arquidiocese de Belo Horizonte.

    Contamos com a carinhosa presença de nosso bispo diocesano, Dom Cláudio, que nos apresentou o novo casal diocesano, Evandro e Dirce. Desejamos a eles muita luz de Deus.

    Dom Cláudio, disse que os pais devem ser exemplo de vivência de Igreja, como comunidade de fé, dialogando com os filhos no sentido de perseverar na fé e vivência de comunidade.

    Pe. Jorge, em sua palestra discorreu sobre os 4 temas:

        1-Família na visão contemporânea
        2-Família e juventude
        3-Pastoral de conjunto
        4-Espiritualidade dos agentes da Pastoral Familiar.

    A família pede socorro, pois ela já não está sendo vista como a “célula mãe” da sociedade, ou seja, a sociedade está ficando órfã. É preciso salvar a família, recobrando os valores familiares tão apreciados por Deus, que escolheu vir ao mundo nascendo em uma família.

    Filho é dom de Deus, recebido pelos pais a partir do matrimônio. Tem que ser criado e educado pelos pais. É responsabilidade dos pais, que devem valorizar e ensinar os jovens a valorizar as tradições da família, sem impedir que eles sejam "eles mesmos”. Formação dos filhos não é escolha é obrigação dos pais. É preciso que os filhos tenham como primeira experiência a família que dialoga, que ora, que convive, que partilha, se não eles vão em busca de outras experiências.

    A Pastoral Familiar é uma pastoral de conjunto: está em tudo e tudo toca ela: Todas as outras pastorais e movimentos da paróquia dizem respeito à família, portanto, fazem parte da Pastoral familiar. Para cada situação a pastoral deve estar atenta. Sua missão é de conjunto, de inclusão, é ser “Sal da terra e Luz do mundo”.

    A espiritualidade dos agentes se fundamenta na união, oração e trabalho. É preciso saber conviver, ter consciência de que o outro é importante para mim. “Amai-vos uns aos outros”. O amor gera espiritualidade, porque Deus é amor. Quem tem amor tem Deus em si. Ser agente de pastoral é ser servo, é levar a força da oração ao outro, é participar da comunidade, é não começar nada sem orar.“Que todos sejam um como nós somos um....” Jo.17,20-28.


    Louvamos a Deus pelas sementes que foram lançadas no congresso, na esperança de que muitos frutos virão.

Lourdes Barbosa. - Pastoral Familiar

Veja a Galeria de Fotos:

Postar um comentário

Muito obrigado pela visita!!!

Clique nas paginas para ver outras matérias.

Seguidores

Total de visualizações de página

Colaboradores


Foto: