quinta-feira, 14 de junho de 2012

João Batista e o Batismo de Conversão

Das várias comemorações de santos que temos no mês de Junho destacam-se duas solenidades: São Pedro e São Paulo (dia 29) e São João Batista (dia 24). A importância de São Pedro e são Paulo está no fato de eles serem os dois principais guias da comunidade cristã no início da Igreja e de terem testemunhado o Cristo ressuscitado de forma exemplar: foram mártires. São João batista é importante porque é o último dos profetas: ele vai preparar o povo de Israel para acolher Jesus e também dá testemunho de Jesus pelo martírio.

No Antigo Testamento está descrita a preparação para a vinda de Jesus. Vários profetas já haviam anunciado que viria o messias. Dentre estes profetas destaca Isaías quando anuncia que uma virgem dará a luz a um filho e ele chamará Emanuel, ou seja, Deus conosco (Is 7,14). Quando chegou o tempo certo, o Espírito Santo desceu sobre a Virgem Maria e ela se engravidou pelo seu poder (Mt 1,18). Da mesma forma, Isabel (a prima de Maria) se engravidou seis meses antes de Maria por obra divina, pois era estéril (Lc 1,7-25).

João Batista veio antes de Jesus para preparar o seu caminho. João anunciava a vinda do messias na mesma linha dos profetas anteriores, mas o seu anúncio é para uma vinda “próxima” do messias. Por isso ele dizia: “Arrependi-vos, porque o Reino dos Céus está próximo” (Mt 3,2). É o próprio Jesus que João anuncia, pois Jesus é o Reino dos Céus que vem até nós. Assim, a preparação exigida por João é uma preparação verdadeira: uma conversão do coração, porque é o Filho de Deus que ele anuncia.

João é o último profeta do Antigo testamento e o primeiro do Novo Testamento. É o próprio Jesus quem disse isto dele: “Em verdade em verdade eu vos digo que, entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior do que João, o Batista... (Mt 11,11). João tinha a missão de preparar as pessoas para acolherem Jesus, pois sua chegada estava próxima.

O batismo de João Batista era um batismo de conversão. Existia outros batismos no povo judeu. Um deles era o batismo dos prosélitos que consistia num batismo de iniciação ao judaísmo exigido aos pagãos ou estrangeiros que queriam inserir na comunidade judaica. A singularidade do batismo de João batista está no fato de ele anunciar uma realidade nova: o Reino de Deus está próximo.

Assim, João, o primeiro profeta do Novo Testamento, anuncia ainda hoje para quem se aproxima do sacramento do batismo: “Arrependei-vos...”. A dimensão da conversão é essencial para quem vai ser batizado e não deve ficar fora da preparação dos pais e padrinhos que pedem o batismo para os seus filhos e afilhados. O sacramento do batismo deve ser vinculado à dimensão da conversão para dar os frutos de salvação que todos esperam.

José Antônio Ramos, seminarista do 4º ano do curso de teologia do
Seminário Maior “Dom José André Coimbra” de Patos de Minas.

Postar um comentário

Muito obrigado pela visita!!!

Clique nas paginas para ver outras matérias.

Seguidores

Total de visualizações de página

Colaboradores

Foto: